Para sabermos sobre o surgimento do jogo de buzios, temos que conhecer a verdadeira história do surgimento da religião do candomblé (Ixexe Ibile).

oduduwaPelos nossos estudos sabemos que a origem da Religião do Candomblé iniciou-se através de um guerreiro de etnia branca conhecido por Odùduwà, que por confrontos bélicos foge de Meca, passa pelo Egito, atravessa o deserto do Saara, passa pelo Sudão e chega à Nigéria e estabelece em Ile Ifé, berço da religião do Candomblé.

Alguns historiadores afirmam ter redescoberto na terra dos yorubás ramificações do desaparecido continente da Atlântida. Segundo eles, os atlantes teriam cruzado o oceano infiltrando-se na África. Outros falam que a origem dos yorubás é no Egito Superior ou na Núbia. Estudos sobre o Kemet – como é conhecido o Egito antigo, vêm corroborar a teoria de ali situar a origem da religião Yoruba.

A partir de então fixa o culto aos orixás conhecido como Ibile e aqui no Brasil denominado Candomblé.

Pierre Verge em seu livro Orixás reafirma que Odùduwà, tinha a pele muito clara e relata sobre o nascimento de seu filho Oranian. Relata como Ogum, engravida uma prisioneira de rara beleza chamada Lakanjê, mais tarde, quando Odùduwà, pai de Ogum, fez dela uma de suas mulheres. Ogum, amedrontado, não ousou revelar a seu pai o que se passara entre ele e a bela prisioneira. Oranian nasce e seu corpo era verticalmente dividido em duas cores. Era preto de um lado, pois Ogum tinha a pele escura, e pardo do outro, pois Odùduwà tinha a pele muito clara.

Odùduwà Chegou em Ile Ifé e encontrou a população local, os Igbo, cujo rei era Obatalá. Logo encontrou oposição por parte de Oreluere, ancestral guardião, partidário de Obatalá. Esta oposição política à investida de Odùduwà fez nascer a Sociedade Secreta Ogboni, preservadora da justiça e dos ideais implantados nas primeiras instituições da Terra. Edan firmou um pacto e aqueles que juraram mantê-lo poderiam viver em paz, harmonia, justiça e prosperidade. Após longo tempo de permanência na Terra, Edan retornou ao Orun, delegando à sociedade Ogboni a tarefa de supervisionar e fazer cumprir as leis estabelecidas.

Seja como for, elementos da prática religiosa yorubá comprovam ser uma das primeiras RELIGIÕES praticadas na Terra e teria sido legada pelos ancestrais instrutores espirituais do planeta.

Dentro da tradição yorubá, a estrutura universal é regida por uma Divindade Suprema, Olodumare, origem única e princípio de todos os mundos, que comanda e zela pela sua evolução. Este Ser permeia todos os reinos da manifestação cósmica, desde as maiores galáxias até os ínfimos espaços inter-atômicos. Descrito como aterekaye (aquele que cobre o mundo, fazendo todos sentirem a Sua presença) é o detentor do Poder Absoluto e Onipotente. Este conceito de supremacia absoluta e pràticamente inconcebível de Olodumare, já invalida a classificação da religião do Candomblé como politeísta e temos também as Divindades conhecidas como orixás, cada qual com sua função regendo cada uma das energias do Planeta Terra.

Destacamos ainda que existe um monumento em Ile Ife chamado de Opa Oranian, o grande monólito de 8 metros de altura construído em granito com entalhes egípcios e dizem que ali está enterrado Odùduwà.

E também vem corroborar com nossos estudos a descoberta do machado de Xangô, que arqueólogos atestam ter uma existência há mais de 5.000 anos.

Para sabermos sobre o surgimento do jogo de búzios, temos que conhecer a verdadeira história do surgimento da religião do candomblé (Ixexe Ibile).

oduduwaPelos nossos estudos sabemos que a origem da Religião do Candomblé iniciou-se através de um guerreiro de etnia branca conhecido por Odùduwà, que por confrontos bélicos foge de Meca, passa pelo Egito, atravessa o deserto do Saara, passa pelo Sudão e chega à Nigéria e estabelece em Ile Ifé, berço da religião do Candomblé.

Alguns historiadores afirmam ter redescoberto na terra dos yorubás ramificações do desaparecido continente da Atlântida. Segundo eles, os atlantes teriam cruzado o oceano infiltrando-se na África. Outros falam que a origem dos yorubás é no Egito Superior ou na Núbia. Estudos sobre o Kemet – como é conhecido o Egito antigo, vêm corroborar a teoria de ali situar a origem da religião Yoruba.

A partir de então fixa o culto aos orixás conhecido como Ibile e aqui no Brasil denominado Candomblé que se utiliza de vários oráculos como por exemplo o jogo de búzios.

Pierre Verge em seu livro Orixás reafirma que Odùduwà, tinha a pele muito clara e relata sobre o nascimento de seu filho Oranian. Relata como Ogum, engravida uma prisioneira de rara beleza chamada Lakanjê, mais tarde, quando Odùduwà, pai de Ogum, fez dela uma de suas mulheres. Ogum, amedrontado, não ousou revelar a seu pai o que se passara entre ele e a bela prisioneira. Oranian nasce e seu corpo era verticalmente dividido em duas cores. Era preto de um lado, pois Ogum tinha a pele escura, e pardo do outro, pois Odùduwà tinha a pele muito clara.

Odùduwà Chegou em Ile Ifé e encontrou a população local, os Igbo, cujo rei era Obatalá. Logo encontrou oposição por parte de Oreluere, ancestral guardião, partidário de Obatalá. Esta oposição política à investida de Odùduwà fez nascer a Sociedade Secreta Ogboni, preservadora da justiça e dos ideais implantados nas primeiras instituições da Terra. Edan firmou um pacto e aqueles que juraram mantê-lo poderiam viver em paz, harmonia, justiça e prosperidade. Após longo tempo de permanência na Terra, Edan retornou ao Orun, delegando à sociedade Ogboni a tarefa de supervisionar e fazer cumprir as leis estabelecidas.

Seja como for, elementos da prática religiosa yorubá comprovam ser uma das primeiras RELIGIÕES praticadas na Terra e teria sido legada pelos ancestrais instrutores espirituais do planeta.

Dentro da tradição yorubá, a estrutura universal é regida por uma Divindade Suprema, Olodumare, origem única e princípio de todos os mundos, que comanda e zela pela sua evolução. Este Ser permeia todos os reinos da manifestação cósmica, desde as maiores galáxias até os ínfimos espaços inter-atômicos. Descrito como aterekaye (aquele que cobre o mundo, fazendo todos sentirem a Sua presença) é o detentor do Poder Absoluto e Onipotente. Este conceito de supremacia absoluta e pràticamente inconcebível de Olodumare, já invalida a classificação da religião do Candomblé como politeísta e temos também as Divindades conhecidas como orixás, cada qual com sua função regendo cada uma das energias do Planeta Terra.

Destacamos ainda que existe um monumento em Ile Ife chamado de Opa Oranian, o grande monólito de 8 metros de altura construído em granito com entalhes egípcios e dizem que ali está enterrado Odùduwà.

E também vem corroborar com nossos estudos a descoberta do machado de Xangô, que arqueólogos atestam ter uma existência há mais de 5.000 anos.